domingo, 8 de julho de 2018

Libertação



Sempre fiquei a pensar como será meu velório. Se alguém irá ou não terá ninguém, aí, quem não me conhece comentará que fui uma pessoa horrível e que ninguém foi ao meu velório por causa disso.
Sei lá, porque pensei está bobagem? Com certeza, não estarei no meu velório.
Estarei bem longe a viajarei para outras realidades. Irei me metamorfosear em outros seres. 
A morte é transformação e o outro lado da moeda da vida. 
Nesta jornada, continuarei a minha busca de me conhecer. Perdendo-me e me achando por aí.
Por que ainda irei me preocupar com meu velório e se terá muita gente? Curioso como em vida, precisa-se do olhar do outro para viver. Há a ilusão de prestígio, fama ou sucesso que tornará o indivíduo especial e, na verdade, torna-o mais um na multidão.
A morte não é tão feia como se pinta. Lógico, que se jogar para o desconhecido dá medo. Entretanto, é uma travessia necessária. 
É uma viagem solitária e de autoconhecimento.



segunda-feira, 30 de abril de 2018

CARTÃO BLOQUEADO

Não estou nem aí, se acharão que estou sendo infantiloide, mas, achei um absurdo cancelarem meu cartão.  Sempre o paguei nos prazos certos.

Realmente, cometi um erro. Paguei antes de fechar a fatura e não paguei um resíduo de cinquenta e dois reais. A única mensagem recebida pelo celular foi que a próxima fatura viria com juros em cima. Pensei que estava tudo  certo, porém, quando utilizei o Itaucard,  a  transação  não se realizava. Passei o maior constrangimento.

Liguei  imediatamente  para Instituição financeira  e  o atendente me relatou  que como não paguei o resíduo de cinquenta e dois reais  do mês de abril, o cartão foi bloqueado e  meu CPF  poderia ir ao SERASA e  o SPC. Fiquei perplexo! Não recebi nenhuma mensagem da  minha situação com o cartão de crédito. Só aquele SMS de que a próxima  conta  os juros estariam embutidos.  

Não  acredito que  por  cinquenta  e  dois reais, o itaucard  foi bloqueado  e  meu nome  pode ficar sujo na praça.  Sei lá,  é  surreal.  Aliás,    paguei  a fatura  com juros e ainda  demorará  cinco dias  para constar que paguei.  Não  vou  pro  banco,    porque  o  tempo do processamento  é de  dois  dias. 

Estou pensando seriamente  em cancelar  este  cartão de crédito.  Vou ver... 

Com certeza, terá gente a dizer... “  Mas, Eduardo,  eles estão certos.  Tudo é programado  e  você não  pagou. “.  A minha  questão,  querido,  não é  de pagar o que devo e sim a  situação de  constrangimento  que sofri, quando o cartão foi bloqueado  sem  aviso prévio. Dana-se  se  está  naquelas  letrinhas  minúsculas  de contrato.

Não podem me rotular como  mal pagador , porque me equivoquei  e  não  paguei um resíduo de  cinquenta  e dois reais.


terça-feira, 17 de abril de 2018

DESABAFO

Deus não quer só que você creia, mas que seja ético nas atitudes. Não se achar melhor em relação aos outros porque vai à igreja. A espiritualidade não é só dizer palavras bonitas e vazias, mas praticar em silêncio o que acredita. Sinceramente, acredito nisto! Um bom crente precisa ser bom cidadão e respeitar as diferenças. Jesus Cristo praticou até o fim o amor ao próximo, não julgou pedras em ninguém ou se fez a pessoa mais imaculada do mundo. Viveu na simplicidade e não construiu Impérios. Seu legado é a palavra preenchida com valores verdadeiros. Portanto, creio Nele sim, mas, não acredito nas várias instituições religiosas que deturparam sua verdadeira essência. Agora, admiro igrejas que trabalham com a cidadania e a fé, proporcionando conforto às comunidades. Não se pode generalizar.( Escrito em 11 de abril de 2016)

domingo, 25 de março de 2018

Resgate que não deu certo


Final de domingo e madrugada começando. Deu-me aquela vontade de ir ao banheiro para fazer o "número dois". Mas, vi esta criatura boiando no vaso sanitário. Tirei uma foto e percebi que ainda estava viva.

Perdi "a vontade" e fui salvá-la. Peguei um galhinho lá fora e a retirei da água. Ela ainda estava viva, porém, muito fraca.
Coloquei-a num lenço de papel e a pus na janela da sala.
Quando amanheceu, corri para ver se ela não estava mais lá. Encontrei-a inerte e as formigas já estavam por cima dela. 
Fiquei triste e fui caminhar. Pois, a vida que se segue.

quinta-feira, 8 de março de 2018

Muitas vezes...

Me pego pensando e fazendo atitudes muito estranhas. Parece que sou outro.

Hoje, fiquei a saber sobre a morte de um jovem escritor e eu já comecei a procurar sobre os livros que escreveu e, inclusive, informações biográficas. Quando percebi o que tinha feito, senti-me péssimo e mórbido, por querer saber a causa da morte. Mas, o que tenho a ver com isso? Nem conhecia a pessoa. Preciso ficar distante e respeitar a dor de quem o conhecia realmente.

Coisa boba de almejar estar a par de tudo, isto é impossível. Não conseguirei ler todos os livros e nem conhecerei todos os escritores talentosos. Sou limitado e preciso me desapegar desta pretensão.

terça-feira, 27 de fevereiro de 2018

Panelinha


Em qualquer lugar, há questões de afinidade.  Existem pessoas que são mais próximas a você que outras. Este fato pertence ao ambiente individual de cada um e não se deve e nem pode julgar.

Entretanto, a questão de afinidade, não pode se manifestar no ambiente público. Por exemplo, no trabalho, mesmo que o colega não seja um amigo, precisa respeitá-lo e passar as informações. É muito antiético, só ensinar ou ter paciência de explicar para os que fazem parte da sua "panelinha".

Fazer "panelinha" num ambiente de trabalho não é profissional. Ainda mais, ficar fazendo o clube das "comadres", detonando os outros colegas de  trabalho. Este comportamento é nocivo entre os companheiros. Uma equipe de verdade, ajuda uns aos outros e até corrige quem errou.

Não estou dizendo que se alguém vir algo de errado,  não é para comunicar ao chefe. Pelo contrário, mas, se encontrar um erro, antes, mostre-o para quem é o responsável. Aí, os dois juntos  irão  conversar com o chefe. Agora, falar com uma pessoa que não tem nada a ver com o assunto é ir direto ao patrão, acho muito deselegante. Detalhe, minutos antes, os dois funcionários ficaram fofocando.
Tudo que relatei, acontece em qualquer escritório ou repartição do mundo inteiro, pois, mostra que não adianta só ter grau de instrução e capacidade de exercer o cargo para ser um bom profissional. Precisam-se haver valores bons e empatia ao próximo.

Confesso que não sou um bom profissional. Ainda tenho que melhorar muito e me reconstruir sempre. Respeito e compreendo quando me questionam profissionalmente. Porém, nunca deixarei que questionem minha moral. Não sou safado, ladrão e nem parasita. E quando precisam de mim, faço meu trabalho sem distinção de quem eu gosto como amigo ou não. Posso me enganar e prejudicar um companheiro de trabalho sem querer, no entanto, nunca por maldade ou por displicência. Porque tem gente, que só atende ao chefe e seus companheiros futriqueiros.  Enquanto, ao restante, possui surdez seletiva.

Enfim, pensem mais sobre respeito e ética. Vivemos num mundo tão vazio de valores, cada um quer devorar o outro para se sobressair. O que adiante, rezar ou orar na ceia de natal, se passou o ano inteiro fofocando e desmerecendo um colega de trabalho.

Vamos viver mais os valores cristãos e deixar de só reproduzir palavras ao vento. Vamos ser mais humanos, menos oportunistas e maledicentes.



sábado, 25 de novembro de 2017

Para a turma que acha tudo ser "MIMI" vamos às seguintes questões

Quantos juízes negros vocês já viram? Médicos? Jornalistas e âncoras de tevê? Cientistas? Nas faculdades públicas e na PUC cursando cursos "nobres" e concorridos como Direito, Medicina e Engenharia? Professores universitários? Em condomínios de luxo? Na política? Nas novelas? Quais são os jovens que morrem como se fossem mosquitos? Dizer que o Brasil não é um país racista e preconceituoso é acreditar nas fadas encantadas, que moram em um armário mágico.