quarta-feira, 17 de junho de 2015

Aprendendo a viver e apreciar a vida

Estou gostando tanto de lidar com o fato de ser comum ou um fragmento que se integra no universo. Perceber que para conseguir meus objetivos, preciso correr atrás como todo mundo. Entretanto, não posso esquecer de que preciso respeitar os limites do meu corpo e alma. Anos atrás, acho graça como me levava a sério, acreditava que tinha algum talento oculto e que só precisava de uma ajuda para deslanchar. Hoje, morro de rir como fui tolo e o tempo me revelou que não posso ficar me lavando a sério cem por cento. Mas, ao mesmo tempo, preciso lidar com a passagem do tempo e sempre buscar minha identidade e essência. Tenho a impressão que já falei sobre o assunto por aqui, teve uma época que só porque fiz duas oficinas literárias, eu me achei apto para enviar meus textos em sites literários e originais para editoras, CONCLUSÃO, UM MICO terrível e morro de rir com esta experiência malsucedida. Hoje, estou aprendendo a viver e apreciar a vida, sem ficar mais idealizando muito e isto me libertou.

Nenhum comentário:

Postar um comentário